O Sector da Construção em Portugal em 2010

O InCI publicou o relatório ‘O Sector da Construção em Portugal em 2010’ que, entre outros temas,  inclui a caracterização do enquadramento macroeconómico, informação sobre o mercado em Portugal e obras particulares – licenciadas e concluídas.

O documento apresenta dados sobre a evolução dos valores da taxa de juro implícita, valores médios de avaliação bancária, índice de produção na construção e obras públicas e índice de custos de construção e inclui, igualmente, informação sobre o tecido empresarial do sector da construção.

Fonte InCI

Tempo médio de absorção de fogos novos

No Algarve o tempo médio de absorção dos alojamentos da base de dados SIR –Sistema de Informação Residencial manteve-se nos 17 meses entre o 1.º e o 3.º trimestre de 2010, tendo aumentado no 4.º trimestre para 21 meses, uma tendência verificada quer no segmento de fogos novos quer no de usados.

Ao longo dos 3 primeiros trimestres de 2010, o tempo médio de absorção para os fogos novos situou-se, em média, nos 19 meses, tendo aumentado 4 meses no 4.º trimestre desse ano, atingindo 23 meses. Para os fogos usados o tempo médio de absorção apresentou-se mais reduzido, situando-se, em média, entre o 1.º e o 3.º trimestre de 2010, nos 14 meses, tendo aumentado para 16 meses nos últimos 3 meses do ano.

A base de dados do SIR – Sistema de Informação Residencial relativa ao Algarve continha uma amostra de fogos em oferta para venda que, em 2010, ascendia a 14.056 unidades, dividindo-se entre os segmentos de fogos novos e usados.

Nesse período, o valor médio de oferta registado pela pool SIR no Algarve cifrou-se em 2.310 €/m2 para os fogos novos, 8,0% acima do valor médio de oferta de 2.134 €/m2 verificado ao nível regional. No caso dos fogos usados o valor médio de oferta mostrou-se mais baixo, atingindo 1.703 €/m2.

No decurso de 2011, a pool SIR registou a venda de 829 fogos no Algarve a um preço médio por mô de 1.801€. Para os fogos novos, o preço médio de venda atingiu os 1.922€/m2, enquanto para os fogos usados este situou-se em 1.373 €/m2, com o prémio entre os mercados de novos e usados a cifrar-se em 17%.

Mais de metade das transações reportadas realizaram-se nos concelhos de Loulé e Albufeira, nomeadamente 35% e 19% do total das vendas de habitações em 2010, respetivamente.

No que se refere à revisão das tabelas de preços, a tendência ao longo de 2011 foi a revisão em baixa quer para os fogos novos quer para os usados. No caso dos fogos novos verificou-se, no 4.º trimestre de 2010, uma clara melhoria da taxa de revisão (cifrou-se em -5%) face ao trimestre anterior (-10%), levando o indicador a níveis mais próximos dos observados nos primeiros trimestres de 2010 (-3%).

Para os fogos usados o comportamento da taxa de revisão foi diferente. Mantendo-se em torno dos -7% até ao 3º trimestre de 2010, no 4º trimestre a taxa de revisão agravou-se para -9%.

Fonte CI


Estatísticas da Construção e Habitação | 2010

O INE disponibiliza as “Estatísticas da Construção e Habitação” relativa a 2010.

No ano transacto o número total de edifícios licenciados registou um decréscimo de 9,9% face ao ano anterior. Ao nível das obras concluídas registou-se um decréscimo de 6,9%, que foi mais intenso nas construções novas para habitação, (-8,8%). O número de fogos licenciados diminuiu 14,6% face a 2009, enquanto nos fogos concluídos a quebra foi de 13,2%.

O total de edifícios reabilitados em 2010 representa já 23,1% do total de obras concluídas, correspondendo a um crescimento de 1,3 p.p. face a 2009 (21,8%).

PDF

Fonte INE